No hate. No violence
Races? Only one Human race
United We Stand, Divided We Fall
Radio Islam
Know Your enemy!
No time to waste. Act now!
Tomorrow it will be too late

English

Franç.

Deutsch

Arabic

Sven.

Español

Portug.

Italian

Russ.

Bulg.

Croat.

Czech

Dansk

Finn.

Magyar

Neder.

Norsk

Polski

Rom.

Serb.

Slov.

Indon.

Türk.

汉语

Holocausto - A Mentira do Século

NO COMEÇO DA MENTIRA

A MENTIRA DOS SEIS MILHÕES DE JUDEUS MORTOS
FOI ANUNCIADA PELA PRIMEIRA VEZ NO ANO DE 1919

13 milhões de pessoas gaseadas em Dachau, 26 milhões no total!

Fatos ou a "Religião do Holocausto"?
 

Aqueles que nos ensinam a história do holocausto "não são educadores, não são intelectuais, eles são verdadeiros sacerdotes."

shwnitz.gif (11056 Byte)

Prof. Dietrich Schwanitz

Professor Dietrich Schwanitz afirma que os proponentes da versão politicamente e juridicamente aprovada do holocausto são "grandes sacerdotes na arte da enganação" e, de forma alguma são educadores. Em Focus, número 38/1997, p. 171, ele declarou:

"Se nós não denunciamos que verdadeiramente são os grandes sacerdotes da arte da memória: não são educadores, não são intelectuais, eles são verdadeiros sacerdotes... Eu estou me referindo às pessoas que lutam para manter o debate sobre o holocausto fora do questionamento científico e tornam o holocausto em um culto por meio de tabus, monopólios de interpretação, proibindo comparações, regras semânticas e regulamentos."

 

Para os sionistas, que possuem sede de dominação e poder mundial, o tratamento do holocausto como uma religião não possui apenas a vantagem da auto-realização da profecia da Torah. Ao mesmo tempo eles - os judeus - desfrutam do status de uma espécie de santificação, que os mantém além de qualquer crítica. No brilho desta falsa aura eles podem cometer crimes bárbaros - como os massacres na Palestina e a Máfia Israelense.  - sem que sejam chamados a responder por isso. 

 

fazlogo.gif (6372 Byte)
Out. 22, 1997, p. 43:

"Dr. Ammon Raz/Krakotzkin, Ph.D. em história, um antigo professor de história e crítico do curriculum de Israel para a história (F.A.Z., Feb. 6, 1995), declara em seu livro que ele é adequado para estudantes que desejam examinar a questão honestamente: "Apenas se você repete as mentiras dos livros de história você passa no exame?".

 

13 milhões de pessoas gaseadas em Dachau, 26 milhões no total!

Em 24 de agosto de 1945 o jornal "Berner Tagwacht" referindo-se a uma nota oficial distribuída pela Agência Reuters, reportava que "... de acordo com dados oficiais determinados por investigadores do governo francês, um total de 26 milhões de pessoas foram assassinadas em todos os campos de concentração mantidos pela Alemanha. A maior parte deles foram mortas em Dachau."

Agora algumas pessoas podem estar inclinadas a dizer: "...bem, em 1945 não havia qualquer estimativa confiável do número de vítimas." Entretanto, este número foi determinado oficialmente pelo governo francês. E o que é mais incrível, estes 26 milhões de vítimas (e consequentemente, 13 milhões em Dachau) foram novamente declarados como verdadeiros em 1992, pelo altamente conceituado jornal alemão "Frankfurter Allgemeine Zeitung", que reporta na página 13 da edição de 21 de setembro de 1992:
"[campo de concentração] facilidades em que 6 milhões de judeus e 26 milhões de inimigos... foram mortos."
Nós sabemos hoje que os gaseamentos em Dachau são uma Mentira do Holocausto, e ...

"... 18448 mortes foram documentadas"


no campo de Dachau, de acordo com o Escrit
ório Especial da Cruz Vermelha Internacional de Arolsen (October 9, 1980, Ref. I/K1).

 

Isso é devido às mentes podres que propagam mentiras como essa dos 26 milhões, e nós nos reservamos o direito de pesquisar livremente para descobrir exatamente como que tantos judeus morreram em campos de concentração (um número que varia de muitos milhares até 26 milhões), quem matou eles e como eles foram mortos.

Nós reivindicamos o direito de denunciar as Mentiras do Holocausto. Até recentemente estas mentiras eram declaradas como verdadeiras e os registros judiciais oficiais as continuam tratando como verdades. Os atos do sistema judicial condenaram, devido à estas mentiras, muitas pessoas à morte ou à prisão perpétua por terem cometido crimes que não passam ficção inventada e propagada pelos mentirosos do holocausto.

Por isso nós apelamos a todos os "amantes da verdade" que questionem. Apenas se um grande número de pessoas exigir as provas do até agora não provado holocausto é que abriremos caminho para os verdadeiros acontecimentos da Segunda Guerra Mundial. Nós procuramos nos manter aptos a investigar e avaliar o holocausto como um evento histórico e sob uma ótica científica e não sermos obrigados a propagar crenças religiosas.



H O L O C A U S T O

UM EVENTO HISTÓRICO OU UMA PROFECIA CONTIDA NA TORAH?
 

tora.gif (2058 Byte)

à esquerda: faxsimile do livro de Ben Weintraub

 O Dogma do Holocausto

 Cosmo Publishing, Washington 1995, p. 3.

 

Como em uma inquisição, a contextualização histórica do holocausto é proibida na Alemanha. Na Alemanha as leis, em essência, buscam desesperadamente suprimir e esconder os eventos ocorridos entre 1941 e 1945. Na Alemanha, os ataques não se limitam à supressão do fato de que o holocausto é uma grande mentira, perversas mentiras sobre o alegado holocausto são inventadas para detrimento coletivo do povo alemão.

A maioria de todos os Judeus, bem como do povo alemão, são vítimas de uma verdadeira "ditadura do holocausto". Isso é feito para que os alemães aceitem a culpa pela "morte de seis milhões de judeus", assim Israel pode finalmente juntar a profecia da Torah ("E retornarão menos 6 milhões", Ben Weintraub, The Holocaust Dogma, Cosmo Publishing, Washington 1995, p. 3). Isso ajusta-se com um interessante manifesto feito pelo professor israelense Michael Wolffsohn em Frankfurter Allgemeine Zeitung em 15 de abril de 1994, p. 21: "Portanto os Judeus necessitam do Holocausto de maneira geral e, por derivação, a Alemanha em particular, como um símbolo de significativa coesão. Eles estão presos na Alemanha para preservarem sua identidade judaica."

Ele (o holocausto) é talvez o caso do povo alemão, que sem nunca ter sido consultado, sirva como garantia para o cumprimento da profecia da Torah sobre a "perda de seis milhões". É esse o motivo pelo qual o estabelecimento da República Federal da Alemanha foi feito através de um acordo mantido sob o mais absoluto em segredo? A este respeito o Frankfurter Allgemeine Zeitung de 15 de Augusto de 1994, p. 21, traz uma interessante citação: "Ao desmentir o assassinato dos Judeus, ele [Deckert] nega a legitimidade da República Federal [da Alemanha]." Além de tudo isso, no Artigo 7.1 do Acordo de Transferência com os Aliados a República Federal compromete-se a salvaguardar não apenas a (falsa) veracidade do holocausto, mas também as mentiras do holocausto, pelo resto dos tempos.

E assim, Israel e a República Federal da Alemanha possuem uma coisa em comum: ambas nações parcem ter sido construídas sobre o cumprimento da profecia dos "seis milhões de judeus mortos". Claramente, de acordo com a profecia da Torah, Israel pode existir como nação apenas se ele possuir "seis milhões de judeus desaparecidos" para chorar. Esta profecia, que de acordo com a versão política do holocausto foi cumprida, representa o fundamento da Constituição Israelense. Na revista Der Spiegel, número 4 de 1996, Rudolf Augstein, o editor, coloca o seguinte: "A memória de Auschwitz tornou-se constituinte da auto-percepção do Estado judaico." E o povo alemão, alguém pode conjecturar, provavelmente recebeu a bênção dos Aliados para a Reunificação das duas Alemanhas porque aceitou e endossou a perpetuação do "desaparecimento de seis milhões de judeus", garantindo assim a profecia. Rudolf Wassermann, da Ex-suprema Justiça descreveu a situação alemã como segue: (Die Welt, April 28, 1994): "Qualquer um que desminta a veracidade sobre os campos de extermínio Nacional-Socialistas trai as bases nas quais a República Federal da Alemanha foi construída."

Nossa suspeita também é fundamentada pelo fato de que organizações judaicas já haviam anunciado a morte de "seis milhões" antes da Segunda Guerra Mundial (na Ucrânia). O jornal judeu The American Hebreu chamou massacres ocorridos na Ucrânia entre 1918 e 1921 de "holocausto". Esta publicação do jornal judaico ocorreu em 1919, ou seja, dois anos antes do fim das ações do líder ucraniano Petlyura os judeus já afirmavam que "seis milhões" de judeus seriam mortos.

 


SEIS MILHÕES JÁ EM 1919

The American Hebrew
(New York, número 582, 31 de Outubro de 1919):

"Seis milhões de homens e mulhares estão morrendo... oitocentas mil crianças choram por pão. E este destino se abate sobre eles não por culpa deles próprios... mas através da terrível tirania da guerra e o fanatismo por sangue judeu. Esta ameaça de holocausto da vida humana..."



Mas de acordo com o Prof. Israel Shahak, "no máximo" algumas centenas de milhares de judeus morreram, de forma que como resultado disso temos a clara definição de que a religião judaica necessita da figura dos "seis milhões", e para satisfazer esta necessidade a história precisa ser costurada e ajustada para atender a profecia religiosa. Desde que se mostrou impraticavel politicamente o retorno dos judeus para a Palestina nos anos 20 (1920) os "seis milhões" ucranianos foram trancafiados na "caixa de pó" dos planos fracassados. Entretanto, de acordo com a "história oficial" a profecia finalmente foi executada com Adolf Hitler.


SEIS MILHÕES EM 1936

Já em 25 de novembro de 1936, em um discurso perante a Comissão Real em Jerusalém, Chaim Weizmann (presidente da Organização Sionista Mundial, da Agência Judaica por muitos anos e primeiro presidente do Estado de Israel em 1948) definiu os "seis milhões" como uma figura simbólica para o destino judeu.
(Jüdischer Buchverlag Erwin Löwe (Berlin), 1937, Chaim Weizmann "discursos e ensaios 1901 - 1936")



SEIS MILHÕES EM 1942

"O fato de que o local do Memorial Yad Vashem já havia sido planejado em 1942 revela uma relação formal com relação ao holocausto... Os pensamentos estavam voltados para a imortalização do Shoah enquanto a maioria das vítimas ainda estavam vivas."
(Jornal diário "taz", 24 de Maio de 1995, página 12)



MENTINDO E ENGANANDO O DEUS JUDAICO?

De acordo com a profecia da Torah os judeus, em seu retorno, receberiam não apenas a região hoje ocupada pelo Estado de Israel, mas Eretz-Israel (Deuteronomy 1:6-8 and Joshua 1:3-7). Eretz-Israel inclui uma grande parte da Turquia, uma grande parte do Egito, Iraque, Siria, partes da Arábia Saudita e muito mais. Mas se na verdade não morreram seis milhões de judeus significa que as lideranças dos judeus tentaram enganar o próprio deus judaico. Poderia ser esta a razão pela qual os judeus não receberam o Eretz-Israel, de fato uma punição de Yahweh pelo fato dos líderes judeus terem tentado enganar Ele com um falso holocausto de seis milhões para poderem voltar para Israel antes da época determinada pelo deus judaico?

 

A FRASE DE ELIE WIESEL

E o que nós entendemos da famosa frase de Elie Wiesel sobre o holocausto de seis milhões de judeus:

"As coisas não são tão simples, Rebbe. Alguns eventos acontecem mas não são tidos como verdadeiros, outros são verdadeiros mesmo nunca tendo ocorrido." (Elie Wiesel)

Alguns eventos são tidos como verdadeiros mesmo que nunca tenham ocorrido? Acontecimentos "verdadeiros" mesmo que nunca tenham ocorrido, como a profecia dos seis milhões de judeus mortos para permitir a criação do Estado de Israel na terra prometida? (Elie Wiesel, Legends of Our Time, Schocken Books, New York 1982, page viii (introduction)


O APELO DE BAUER  PARA ENCARAR OS FATOS DO HOLOCAUSTO

Durante o Congesso Sionista de Genebra em Agosto de 1997, um dos líderes judeus, Yehuda Bauer, diretor do Yad Vashem Institute for Holocaust Studies de Jerusalem, apelou para que os líderes sionistas interrompessem a manipulação do holocausto. O Frankfurter Allgemeine Zeitung reportou o apelo de Bauer como segue:


fazlogo.gif (6372 Byte)
03 de Setembro de 1997 (página 43)

"Em um discurso Yehuda Bauer manifestou o desejo que os fatos históricos devem ser enfrentados sem parcialismos de forma a interromper a manipulação do holocausto".

Se a história dos campos de concentração dos judeus é um evento histórico e não uma violência imposta por uma crença religiosa, então ele precisa estar aberto às investigações, questionamento e análise dos seus efeitos, como é qualquer outro evento histórico. Fatos históricos não dão a ninguém o direito de transformar os judeus em santos, com está sendo feito por meio da construção de centenas de milhares de "memoriais do holocausto" em todo o planeta e por meio do estabelecimento do dia especial da "memória do holocausto".

Como por longo tempo o povo alemão pode ser humilhado e injuriado, dando a impressão de que não há nenhum limite para este ataque? Nós estamos indignados, porque mais de 10 milhões de alemães completamente inocentes - crianças, mulheres, idosos e soldados feridos - foram trucidados pelos Aliados em um dos maiores genocídios da história humana, e à nenhum irmão é permitido relembrar isso, muito menos defender a honra deles. Os assassinos que praticaram este Holocausto Aliado - contra os alemães - e seus líderes políticos foram recompensados por seus repugnantes atos com reluzentes medalhas. E o Chanceler Kohl e o corja anti-Alemã controlam a política, a economia e os meios de comunicação continuam a louvar os assassinos do povo Alemão como "libertadores".

Tudo o que não pode ser provado é transformado pelos "grandes sacerdotes" em uma violenta imposição de "fé no holocausto"

fazlogo.gif (6372 Byte)
08 de Abril de 1989, p
ágina 29

amayer.gif (31718 Byte)

"Arno J. Mayer (photo), Professor de História Européia em Princeton (USA)... objetos de culto da memória da perseguição nacional-socialista aos judeus estão se tornando em um culto com as suas próprias romarias e peregrinações. Este culto, ele fala, cairam nas mãos de pártidários e contribuiu para remover a catástrofe judaica do seu contexto histórico, igualmente a teologia colorida concebida para o holocausto mostra que nós estamos no caminho de substituir o holocausto por um credo".


"Israel como um Estado judeu constitui um perigo não apenas a si mesma e a seus habitantes, mas a todos os judeus, e a todos os povos e Estados do Oriente Médio e além."

- Prof. Israel Shahak, judeu e fundador da Liga Israelense de Direitos Humanos


Palestine banner
Viva Palestina!

Latest Additions - em Português

A Entrevista do General Remer
Um dos mais famosos comandantes militares da II Guerra Mundial

Quem controla o Brasil - sionismo na presidência

A conspiração Sionista - para dividir os estados Árabes em pequenas unidades

Fotos   

Herman Rosenblat, um – verdadeiro – cara de pau!    


Iraq under Jewish occupation
Iraq - guerra e ocupação


Rabino defende genocídio do povo palestino

A vez do Irã

Um Complô contra a Radio Islam

Massacre em Gaza - A bestialidade judeo-israelita
Por Alfredo Braga

O que é o Revisionismo?
 

"Se eu fosse um líder árabe nunca assinaria um acordo com Israel. É normal; nós tomamos o país deles."

- David Ben-Gurion, Primeiro-Ministro de Israel


Citações - sionismo

Os Judeus Khazares
Por Dr. Alfred M. Lilienthal


Rabino defende Holocausto Iraniano
“devemos orar pela destruição do Irã”

O poder oculto - De onde nasce a impunidade de Israel
Por Manuel Freytas

Down with Zio-Apartheid
StopJewish Apartheid!

Sobre a influência sionista no Brasil: Judeus no Brasil

As vitórias do revisionismo
Por Professore Robert Faurisson

The Jewish hand behind Internet The Jews behind Google, Facebook, Wikipedia, Yahoo!, MySpace, eBay...

Islamofobia = Propaganda Sionista

Um olhar para o poderoso Lobby judeo - Por Mark Weber

The Founding Myths of Modern Israel
Garaudy: "Os Mitos fundadores"


A Lavagem de Dinheiro das Drogas Pelos Judeus
Maior jornal Israelense Ma'ariv revela!

No assunto do rancor judaico à Cristandade - Por Israel Shahak

Racismo Judaico contra Não-Judeus conforme expresso no Talmud

Reel Bad Arabs - Revealing the racist Jewish Hollywood propaganda

Sobre "O Relatório Leuchter"

The Founding Myths of Modern Israel
Shahak: "Storia ebraica"

O Holocausto negro 
“O comércio de escravos estava nas mãos de judeus”

Protocolos dos Sábios de Sião

Videos - Importante coleção
 

Talmud unmasked
A Verdade Sobre o Talmud

O Talmud Desmascarado

Caricaturas 

Ativismo! - Participa na luta!